Coração das Trevas – Joseph Conrad

Joseph Conrad (1857-1924) nasceu na Polônia Russa, onde hoje faz parte da Ucrânia. Seu pai era traduzia Shakespeare e Victor Hugo. Conrad perdeu os pais quando tinha 11 anos e foi morar com os tios. Ele acabou se alistando na marinha mercante em 1874, onde viajou pelo mundo e uma de suas viagens acabaria se tornando um dos seus livros mais conhecidos.

Em 1890 acaba abandonando a marinha para se dedicar a escrita. Já aposentado, seu primeiro romance é publicado aos 38 anos (A loucura de Almayer). Durante os primeiros anos como escritor, casa-se com Jessie George e tiveram dois filhos.

Joseph Conrad acaba falecendo no dia 03 de agosto de 1924 de ataque cardíaco.

SOBRE A OBRA:

Aqui embarcamos com Marlow ao continente africano, mais precisamente no Congo, em busca de Kurst. E lá, no coração das trevas, descobrimos toda crueldade e dor cometido com os negros na busca e exploração de marfim.

Toda descrição que nosso narrador vai contando sobre sua viagem é por vezes é bem difícil de engolir. Afinal, somos conduzidos na história a condições desumanas de exploração dos nativos (envolvendo fome, doença, força física, assassinato).

Em diversos momentos, Marlow fica sabendo um pouco sobre Kurst, o que nos dá certa curiosidade de saber quem é esse personagem. Acabamos sabendo que ele está por trás disso tudo visando o lucro e a exploração de marfim, que são aqueles dentes de elefantes.

Exploradores com presas de elefantes — Fonte: Mega Curioso

Até o momento que Marlow encontra o Arlequim, um discípulo de Kurst e assim como todos bem alucinado. Aliás, ficando meses presenciando essas atrocidades qualquer um sairia de lá com alguma perturbação mental.

CURIOSIDADE: O livro Coração das Trevas inspirou o filme Apocalipse Now.

Abaixo deixo alguns links para vocês conferirem e lerem mais sobre o autor e a obra:

Dom Casmurro – Machado de Assis


Machado de Assis viveu entre 1839 e 1908 e foi um dos nomes mais importantes na Literatura Brasileira. Foi criado no Morro do Livramento, perdeu a mãe muito cedo e pouco estudou. Ele produziu uma extensa obra (desde contos, crônicas, romances, teatro, etc).

Os seus romances dividem-se em Românticos e Realistas, pois o autor viveu e produziu por ambas escolas literárias. O livro que abre o Realismo no Brasil é Memórias Póstumas de Brás Cubas (publicado em 1891), Dom Casmurro é publicado anos mais tarde em 1899. Esse é um clássico da literatura brasileira, além de ser cobrado bastante no Ensino Médio e Vestibulares.

Não podemos esquecer que Dom Casmurro foi publicado em folhetim de forma seriada, por isso, seus capítulos são curtinhos.

SOBRE A OBRA:

O livro é narrado pelo Bento Santiago já mais velho, onde resolve contar suas memórias. Primeiramente, ele começa contando o porquê do apelido Dom Casmurro, depois conhecemos como era a casa que morava quando criança e sua paixão de adolescência por Capitu. O José Dias (agregado da família) percebe a aproximação dos jovens e conversa com a mãe de Bentinho, D. Glória de mandá-lo logo para o seminário.

D. Glória já havia perdido um filho e prometeu se engravidasse novamente e o filho vingasse, ele seguiria a vida religiosa, seria padre. Bentinho ouviu a conversa e não gostou da ideia, afinal já sentia algo por Capitu. Ele conta sobre a ida ao seminário para Capitu, que fica furiosa. E depois de muita resistência, Bentinho pensando o que poderia fazer para não ir ao seminário chega o dia que vai.

No seminário, ele faz uma grande amizade: Escobar. Depois de um tempo um confessa para o outro que não tem vocação para a vida religiosa, então Escobar conta sobre a vocação para o comércio e Bentinho conta sobre sua paixão por Capitu. Após um ano, eles saem do seminário e continuam a amizade fora dali.

Após sair do seminário, Bentinho vai estudar Direito em São Paulo e quando se forma retorna ao Rio de Janeiro. Finalmente, chega o dia do casamento de Bentinho e Capitu, mas ela demora a engravidar. Seu amigo Escobar casa-se com Sancha (melhor amiga de Capitu) e já têm uma filha. Isso deixa o casal cada vez mais com vontade de também ter um filho.

Desde o início do casamento, presenciamos cenas de ciúmes de Bentinho com Capitu. Finalmente, sua mulher dá a luz a um menino chamado Ezequiel. O filho tão esperado por Bentinho chega ao mundo, mas ele começa a ter ciúmes do filho com a mãe desde bebê. Durante a fase de crescimento do menino, Capitu comenta com o marido que ele está cada vez mais a cara de Ezequiel e ele começa a desconfiar: será que Capitu me traiu? Será que meu filho é o filho de meu melhor amigo?

O fato dessa desconfiança atormenta tanto nosso narrador que quando ele se depara com seu filho adulto, ele jura ver seu amigo Escobar ali na frente dele.

O livro é sensacional, cheio de metáforas e referências bíblicas, históricas, musicais etc. A edição que escolhi para esta releitura foi da Editora Panda Books, que traz notas com contextos históricos, assim como alguns significados das palavras mais difíceis, tudo para nos auxiliar durante a leitura. Recomendo a edição!

Abaixo deixo alguns links para vocês conferirem e lerem mais sobre Machado de Assis e suas obras:

Para começar!

Olá! Meu nome é Renata Cunha, tenho 33 anos e sou formada em Licenciatura em Letras – Língua Portuguesa pela Universidade Estácio de Sá. Acabo de concluir Pedagogia que fiz para complementar a minha formação na área da educação.

Sou professora de Língua Portuguesa na rede particular da minha cidade. Pretendo compartilhar neste blog dicas de Português, Literatura e Redação. Além de ajudar com dicas de estudos e afins. Espero que gostem! 😉

Sejam todos bem-vindos!